Oficina do BrinquedoO Centro Cultural de Alfena acolheu, no dia 16 de março, a apresentação pública do projeto da Oficina de Promoção do Brinquedo Tradicional Português. E esteve casa cheia a apreciar o projeto que vai permitir requalificar a antiga escola primária de Cabeda.

 

A Oficina de Promoção do Brinquedo Tradicional Português pretende associar a modernidade a uma tradição muito forte das Cidades de Alfena e de Ermesinde em torno do fabrico do brinquedo tradicional construído em madeira, plástico, chapa, ferro, celuloide, pasta de papel ou gesso cartonado.

A futura Oficina de Promoção do Brinquedo Tradicional Português terá trabalho ao vivo permanente, um núcleo de indústrias criativas ligadas ao brinquedo didático de madeira e serviços educativos.

Serão recriados ambientes oficinais associados ao brinquedo de chapa e plástico e será incluído espólio museológico inusual que tem como objetivo dar a conhecer o património material e divulgar o património imaterial, juntando os que criaram e recriam os objetos, incentivando as partilhas intergeracionais. A instalação na escola de Cabeda tem dois outros objetivos: requalificar e valorizar um espaço sem utilização e criar diferentes espaços expositivos e interativos.

O projeto e inspirado nas formas geométricas. O espaço incluirá também uma galeria, bem como uma sala multiusos com 50 lugares e a envolvente será adaptada para encontros de colecionadores, workshops, arranjo de peças, atividades de dinamização através da ação das indústrias criativas e exposições temporárias de espólios pessoais.

Na sua intervenção, o presidente da Junta de Freguesia de Alfena mostrou-se muito satisfeito com o projeto apresentado. Arnaldo Pinto Soares considera que foi dado mais um passo numa caminhada de preservação e valorização da identidade de Alfena que começou em 2007. “Este sonho começou com uma exposição que marcou a valorização do nosso património cultural, social e económico que e o brinquedo tradicional português”.

O autarca enumerou o “vasto e valioso” espólio que está na posse da junta de freguesia, a que se junta o contributo de privados que também marcaram presença na apresentação e que constitui “talvez um dos mais valiosos espólios a nível nacional”.

Arnaldo Pinto Soares entende que é preciso dignificar o trabalho do passado e reconhece que o projeto apresentado irá “sem qualquer dúvida” reunir com dignidade essas memórias. Mas não só. A oficina “ terá a função de inovar e evoluir no conceito do brinquedo didáctico, mas sempre ligado às nossas raízes", acrescentou.

O presidente da junta só espera que a intenção não se fique pelo papel e que seja concretiza, “independentemente de tudo”. “Não podemos nunca dizer que a concretização deste sonho fica dependente de fundos comunitários”.

Mas de acordo com o presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, o custo estimado para o projeto é de 2,5 milhões de euros, por isso, a sua concretização só será viável com uma candidatura a fundos comunitários. “É um projeto caro e ambicioso, mas estamos apostadíssimos no sucesso deste investimento. Vou inaugurá-lo”, garantiu.

Arnaldo Pinto Soares não terminou a sua intervenção sem enumerar um conjunto de pessoas, ligadas ao brinquedo, “culpadas” pela apresentação deste projeto. “Estamos aqui hoje porque vocês fizeram história, vocês foram capazes de inovar e empreender e temos hoje de preservar esse passado e dar-lhe vida no futuro”. E o autarca não tem dúvidas de que o brinquedo vai voltar a ser importante em termos económicos. Mas isso só será possível com o apoio, o saber e a credibilidade de todos.

0
0
0
s2sdefault