Começou como um grupo de amigos, que se encontrava num café. Há oito anos, depois de uma breve existência enquanto secção motard do Atlético Clube Alfenense, decidiram organizar-se enquanto associação. Foi assim que nasceu o Motoclube de Alfena. Hoje, são uma das associações com mais sócios da freguesia e reconhecida fora de portas. Prova disso, foi a presença, este ano, de 77 motoclubes na sua IX Concentração, que decorreu nos dias 10, 11 e 12 de junho.

MotoclubeOs alfenenses já se habituaram a que um fim-de-semana por ano, a música ecoe pelas ruas da cidade até tarde. Este ano, fruto de mudanças na zona industrial, a concentração mudou -se para o espaço Multiusos. O presidente do Motoclube de Alfena, José Gonçalves, sabe que o barulho por ser incómodo mas apela à compreensão dos moradores, recordando que “são duas noites” por ano. “O S. Lourenço, em Ermesinde são mas dias e é no centro da cidade e a Santa Rita igual, já para não falar de outras concentrações que são mesmo no centro das cidades e vilas”.

Por isso mesmo, à semelhança do que fazem no aniversário, decidiram convidar os ‘vizinhos’ do espaço multiusos para se juntarem à festa.

Na festa não faltaram os ingredientes para uma verdadeira concentração -

muita música, muita animação , muita comida, muita cerveja e muitas motas. E a verdade é que o número de participantes tem aumentado, cerca de 10 por cento, a cada ano que passa. “Já tivemos numa só noite três mil pessoas”. Mas isso, acrescenta, acaba por depender do cartaz que apresentam.

A receita do sucesso também se deve aos próprios elementos do clube, que, anualmente, fazem um esforço e visitam outros clubes. ”Aqui no Norte vamos a todas as concentrações, já vamos a algumas no sul e a Espanha, vamo-nos entrosando com outras pessoas e isso, depois, reflete-se na nossa concentração”, justifica José Gonçalves.

Por seu lado, o Motoclube de Alfena, a cada edição que passa, vai fazendo por melhorar a hospitalidade. “Ainda me recordo da primeira, nem sabíamos bem o que fazer”.

A partir do momento em que começaram a comemorar o aniversário, o sucesso foi ainda maior. “É sempre três meses antes, em março, numa altura em que já está bom tempo e toda a gente está com a folia de andar de mota e, como recebemos bem fica-lhes na memória”, justifica o presidente.

Mas também fica na memória dos Alfenenses. Anualmente, por altura do Natal, o Motoclube de Alfena faz um passeio de pais Natal. Não se trata de um simples passeio de mota. Os sócios aproveitam esse momento para ajudar quem precisa. Em 2015, por exemplo, ofereceram à Unidade de Deficiência do CSPA um plasma para a sala de convívio. O espírito solidário chega, ainda, a outras instituições do concelho de Valongo. “Os nossos sócios sentem-se bem a ajudar aqueles que mais precisam e isso também ajuda a acabar com aquele estigma que os homens das motas são arruaceiros”.

O próximo passo do Motoclube de Alfena é construir uma sede própria. O terreno já foi prometido pela Câmara Municipal de Valongo e o clube diz-se com condições financeiras para avançar com a obra, logo que o projeto esteja pronto.

Atualmente, o Motoclube de Alfena tem cerca de 300 sócios, não só de Alfena mas também de Ermesinde, Valongo, Matosinhos, Maia, Paredes e Penafiel. E o número de senhoras a andar de mota e associadas também tem vindo a aumentar, afirma José Gonçalves. As portas “estão sempre abertas para quem se quiser associar a nós”.

0
0
0
s2sdefault