Na memória de todos aqueles que aprenderam a ler e a escrever, surgem imagens da sua história, enquanto estudantes, nomeadamente a imagem da sala de aulas, do professor, dos livros, do caderno, entre outras.
Com a adaptação do edifício da Escola Primária de Alfena / Igreja a novas funções e apesar do cuidado que houve em preservar o carácter nobre do edifício, mantendo-se a fachada de origem, muitos consideraram que a identidade histórica do mesmo tinha sido afetada, isto porque o interior do edifício foi demolido e destruído o seu mobiliário.

No entanto e devido ao esforço e sensibilidade de alguns, foi possível salvaguardar um significativo espólio escolar que a maioria julgava perdido.
Este acervo esteve durante anos à guarda da Escola E. B.1/J.I. do Xisto e dos seus responsáveis.
Em 2006 esse espólio foi doado à Junta de Freguesia de Alfena, com o compromisso da autarquia promover a sua divulgação, através da criação de um espaço museológico.
Com a cedência por parte da Câmara Municipal de Valongo de uma área no Centro Cultural de Alfena foi possível recriar uma antiga sala de aulas à imagem das existentes naquele edifício, enquanto o mesmo funcionou como Escola Primária.
A sala de aulas criada expõe o mobiliário original da escola, assim como objetos usados no decurso das aulas, como por exemplo, a caixa métrica, livros, cadernos, as lousas, as canetas, etc.
São estes testemunhos do passado que ilustram a história daquela que foi a primeira escola da freguesia.

Nota histórica sobre o edifício
A Escola Primária de Alfena / Igreja foi mandada construir pelo Comendador Manuel Martins Ferreira de Matos em memória da sua filha Idalina de Matos, falecida com apenas 20 anos de idade.
O edifício foi inaugurado no dia 26 de Junho de 1927 e doado ao Estado.
Era constituído por uma ala para o sexo feminino e outra para o sexo masculino. Tinha também duas residências para os professores, um campo de ginástica e jardins.
É de assinalar que ao princípio da separação dos sexos presente nesta construção, não é alheio o golpe militar de 28 de Maio de 1926, que deu origem às mudanças de regime e ao início da ditadura.
Este princípio acabou por ser imposto por Lei de 20 de Maio de 1938.
Com o aumento da população e com o regime de escolaridade obrigatória, a Escola Primária de Alfena / Igreja, com quatro salas de aula e duas residências para professores tornou-se insuficiente face às necessidades.
Foi por isso necessário adaptar o edifício às novas exigências, ou seja, a parte destinada à residência dos professores foi também transformada em salas de aulas.
Com a expansão da rede escolar e consequente construção de novos edifícios escolares, são exemplo disso a Escola Primária de Cabeda (Plano Centenário), Escola Primária do Barreiro, Cabeda, Codiceira, Xisto, a Escola Primária de Alfena / Igreja foi lentamente perdendo importância.
É já na década de noventa que os pais reivindicam a remodelação do edifício já bastante degradado. Após anos de impasse foi decidido pela Câmara Municipal de Valongo a construção de um novo edifício. Com a inauguração em 1993 da nova Escola Primária do Lombelho, a Escola Primária de Alfena / Igreja foi definitivamente encerrada.
O edifício manteve-se devoluto durante vários anos, mas a Junta de Freguesia de Alfena desde logo pugnou, apoiada pela vontade popular, para que ali surgisse um espaço cultural.
A Câmara Municipal de Valongo elaborou um projeto de requalificação do edifício – Centro Cultural de Alfena e iniciou em 1998 as obras de remodelação. De salientar a preocupação do município em preservar toda a estrutura exterior do edifício, mantendo assim a identidade do mesmo.
O Centro Cultural de Alfena foi inaugurado em 30 de Junho de 1999.

0
0
0
s2sdefault