No ano de 2006, a Junta de Freguesia de Alfena torna-se pioneira no concelho com a criação do seu Gabinete de Ação Social, dando efetivo sentido à perspetiva de que o centro de todas as políticas são os fregueses e assim a promoção da sua qualidade de vida e bem estar.

O Gabinete então criado constituiu-se como um importante instrumento de informação, orientação e apoio à comunidade, em questões de âmbito social. Não obstante, o trabalho e o conhecimento daí decorridos, bem como a emergência de novos processos de exclusão e a persistência de fortes desigualdades, subjacentes à problemática da pobreza estrutural, prontamente criaram outras exigências e assim novos desafios à intervenção. Entramos numa escalada sucessiva de criação de serviços como forma de combater mais eficazmente as necessidades diagnosticadas, numa lógica de promoção da autonomia e da emancipação dos mais vulneráveis económica e/ou socialmente, o que assumidamente nos responsabiliza quanto à igualdade de oportunidades, mas que nos motiva e orgulha sobremaneira. De momento, a Ação Social desta Junta integra os seguintes serviços: Gabinete de Ação Social, Gabinete de Inserção Profissional, Projeto Alfena Sénior, Projeto de intervenção e educação com crianças; Loja Social; Banco de Horas; Banco Local de Apoio Alimentar e Grupo de Voluntariado.

Sabemos que a sociedade contemporânea tem enfrentado inúmeras e constantes mutações, com consequências nefastas, ao nível da pobreza e da exclusão social. Sabemos também que a franja da população afetada por estes fenómenos é cada vez mais heterogénea e extensa, obrigando a repensar permanentemente estratégias de intervenção eficazes. Assumimos existir ainda alfenenses que se encontram desprovidas do apoio necessário que lhes garanta uma efetiva integração social e uma participação ativa na vida da comunidade. Mas, defendemos que a necessária solidariedade se traduz na coesão social que formos capazes de promover, fazendo com que cada um de nós, individual ou institucionalmente partilhe com genuinidade preocupações e angústias, mas sobretudo que o caminho de todos seja trilhado na mesma direção. Pensar naqueles que por qualquer motivo se encontram numa situação de maior vulnerabilidade e longe de possuírem aquilo que é de mais elementar à qualidade de vida humana, é fundamental, por forma a evitarmos a desfragmentação familiar e social e se poupe as pessoas à fome e ao abandono.

Gabinete de Ação Social: é um espaço de informação, orientação e apoio, tendo como principal objetivo contribuir para a melhoria das condições de vida da população, promovendo o bem-estar pessoal e social de cada indivíduo/família, em particular dos mais desfavorecidos, articulando para isso, com diversas entidades e serviços no sentido da rentabilizar e mobilizar recursos de vária ordem.

Gabinete de Inserção Profissional: designa-se como uma estrutura de apoio ao emprego que em cooperação com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, presta apoio a jovens e adultos desempregados na definição/desenvolvimento do seu percurso de inserção ou reinserção profissional. A proximidade com o tecido empresarial, também integra o trabalho deste Gabinete e traduz-se no apoio ao nível da contratação e das necessidades de formação.

Projeto Alfena Sénior: é uma resposta social a funcionar em parceria com a Câmara Municipal de Valongo, e apresenta como principal objetivo o combate ao isolamento social e à solidão, através da promoção do envelhecimento ativo e da aprendizagem que inclui a realização de atividades como a ginástica, a hidroginástica, a música, o teatro, a informática, o português, o inglês, a pintura, as artes decorativas, mas sobretudo a promoção do convívio e da amizade. De momento, esta resposta integra cerca de 115 seniores.

Projeto de intervenção e educação com crianças: tem como finalidade a promoção da valorização pessoal e social das crianças provenientes de contextos sociais desfavorecidos, criando-lhes oportunidades de escape ao estereotipo de exclusão social através da aprendizagem de normas, valores e modelos de referência, que combatam a já manifestada deficiente adaptação e inserção social, quer seja na família, na escola e/ou na comunidade.

Loja Social: caracteriza-se como um espaço aberto à comunidade, mas dirige-se especialmente aos indivíduos/famílias em situação de precariedade económico-social, por forma a garantir-lhes bens essenciais como: vestuário, calçado, artigos de puericultura, brinquedos, artigos ortopédicos, mobiliário, eletrodomésticos, entre outros.

Banco de Horas: tem como objetivo o apoio a indivíduos/famílias em situação de grave carência socio- económica, garantindo bens de primeira necessidade, com vista a atenuar fenómenos de pobreza e exclusão social. Este Banco pode designar-se como uma rede de infraestruturas de apoio social a nível local, que promovem o encontro entre necessidades e recursos. Pela atribuição de um valor monetário, que satisfaça uma necessidade básica é criada uma dívida, que será liquidada através da prestação de horas de trabalho a favor do bem comum, entenda-se da comunidade local.

Banco Local de Apoio Alimentar: tem como objetivo assegurar níveis mínimos de subsistência à população mais desprotegida social e economicamente, podendo designar-se como uma rede de apoio social a nível local, que promove o encontro entre necessidades e recursos tendo por base o princípio da reciprocidade. Isto é, a atribuição de um apoio em bens alimentares, implicará a execução de uma tarefa por parte da família beneficiada, em favor da comunidade, de forma a tornar o processo ativo e participado.

Grupo de Voluntariado: entendemos que fomentar a participação social e cívica é determinante para o sucesso que pretendemos alcançar, que se resume a uma Alfena melhor e mais solidária. Por isso, criamos um grupo de profissionais de diversas áreas (enfermagem, medicina, direito, psicologia, naturopatia) que presta apoio e orientação gratuita em cada uma das áreas a pessoas/famílias em situação de comprovada carência. Registe-se ainda que estes profissionais têm efetuado um trabalho de (in)formação junto da população em geral, através da realização de tertúlias.

0
0
0
s2sdefault