Com o advento do século XX, as benfeitorias chegam a Alfena, permitindo a criação de pequenas oficinas caseiras, dedicadas ao fabrico do brinquedo em chapa e madeira.

Exemplo disso foi a indústria de Quinquilharias de Ermesinde que, desde 1946, foi a maior unidade industrial de produção de brinquedos em Portugal.

Esta empresa descende da antiga oficina familiar de José Augusto Júnior, em Alfena. Este artesão teve o mérito de ter sido o fabricante do primeiro brinquedo com corda de fita em Portugal.

Também Armindo Moreira Lopes, desde 1940 e até há bem pouco tempo, dedicou a sua vida ao fabrico de brinquedos em folha - automóveis, motas, locomotivas, máquinas de costura, entre outros.

Manuel Rocha Ferreira, que foi empregado de José Augusto Júnior, estabeleceu-se em 1972, para criar brinquedos em madeira, pintados manualmente, com cores vivas. É o caso das pombas, ciclistas e andarilhos.

Estes brinquedos, que povoaram o imaginário de muitas gerações, são, hoje, essencialmente, peças de coleção, devido à sua beleza e raridade.

Infelizmente, são cada vez menos os que se dedicam a esta atividade.

O projeto da Oficina de Promoção do Brinquedo Tradicional Português pretende associar a modernidade a uma tradição muito forte das cidades de Alfena e Ermesinde em torno do fabrico do brinquedo tradicional construído em madeira, plástico, chapa, ferro, celuloide, pasta de papel ou gesso cartonado.

A futura Oficina do Brinquedo terá trabalho ao vivo permanente, um núcleo de indústrias criativas ligadas ao brinquedo didático de madeira e serviços educativos.

0
0
0
s2sdefault