Comendador Manuel Martins Ferreira de Matos

misc18Nasceu a 18 de Dezembro de 1862, na freguesia de Alfena, Concelho de Valongo, filho de Francisco Martins Ferreira e de Albina Moreira da Silva.
Casou com Isabel de Sousa Pereira de Matos e pai de Idalina de Matos – filha única – nascida no Brasil.

Emigrou para o Brasil onde fez fortuna, mas foi à sua terra natal que dedicou todo o seu carinho e orgulho, viria a falecer na sua terra no dia cinco de Outubro de 1941.

Tornou-se num benemérito por excelência e as várias doações efectuadas comprovam isso mesmo:

Doação à Comissão Fabriqueira da Igreja de Alfena, de setenta acções da Companhia de Fiação e Tecidos de Crestuma. Ofereceu um relógio para a torre da antiga Igreja Matriz de Alfena. Mandou construir um posto de transformação de energia eléctrica, na sua quinta de Baguim, para utilidade pública.

Ficou registado em acta da Junta de Freguesia de Alfena, datada de 25 de Junho de 1925, a oferta de dez mil escudos para esta adquirir os bens do Passal. Neste terreno ele próprio mandou erigir a Escola Primária da Igreja, primeiro edifício escolar da freguesia.

A inauguração da referida escola acontece no dia vinte e sete de Junho de 1927, e perpétua a memória da sua filha Idalina Matos, que faleceu com apenas vinte anos de idade.

A sua bondade estendeu-se para além dos limites da sua terra natal, porque mandou construir o Hospital da Misericórdia de Matosinhos, oferecendo-o a essa Vila.

Um homem de personalidade impar, da qual os Alfenenses se orgulham e que permanece como referência para a presente e futuras gerações.

Padre Nuno António Maria Cardoso

misc19

Nasceu na Freguesia de Argoncilhe, Concelho de Santa Maria da Feira, no dia 13 de Maio de 1931.

Em 5 de Agosto de 1956 foi ordenado presbítero na Catedral do Porto e, depois de ter passado pelas paróquias de Campanha (Porto) e Folhada (Marco de Canaveses), foi nomeado Pároco da freguesia de Alfena, onde chegou a 18 de Outubro de 1962.

Com o entusiasmo próprio de um jovem sacerdote, foi capaz de sonhar e concretizar um conjunto notável de obras: A Igreja Matriz, O Centro Social e Paroquial, Pavilhão Gimnodesportivo, Lar de Idosos, Novo Santuário da Nª Sª do Amparo, Centro Pastoral de Nossa Senhora da Paz e o Pólo II da Obra Social, pensada para as pessoas portadoras de deficiência. Não concluiu esta obra devido ao seu falecimento em 15 de Agosto de 1999.

Homem de fortes convicções, dedicou grande parte da sua vida a esta terra, tendo recebido a justa homenagem da comunidade Alfenense no dia 27 de Outubro de 2002, assinalada com a presença do seu busto no jardim junto da Igreja Matriz. O seu nome ficará indelevelmente ligado a Alfena e à sua gente.

0
0
0
s2sdefault